Cultivar a amizade

 

No passado dia 30 de Julho assinalou-se o Dia Internacional da Amizade. Está comprovado cientificamente que ter boas amizades aumenta até dez anos a longevidade e ter pelo menos quatro bons amigos pode diminuir a possibilidade de desenvolver doenças cardíacas. Diz-se frequentemente que somos a média das cinco pessoas com que mais convivemos e que estas contribuem decisivamente para a nossa saúde física e mental. De que estamos então à espera para investir mais nas relações que construímos com os outros?

Deixo aqui cinco dicas para fazer e manter amizades:

 1) Seja fiel a si mesmo(a)_ Fazer amigos implica muitas vezes sairmos da nossa zona de conforto e colocarmo-nos numa posição de vulnerabilidade, em que podemos ser aceites ou rejeitados. O importante é ser autêntico(a) em todas as suas interações, mostrar curiosidade em conhecer a outra pessoa. Ter interesse genuíno na vida do outro é meio caminho andado para se estabeleça uma ligação entre duas ou mais pessoas.

2) Utilize a linguagem corporal a seu favor_ Tente olhar as pessoas diretamente nos olhos quando está a falar com elas e ofereça um sorriso sincero e convidativo. Imitar a linguagem corporal da outra pessoa é uma ótima maneira de construir uma conexão com ela, por exemplo se ela se inclinar para a frente, procure fazer o mesmo.

3) Seja leal, bom ouvinte e digno de confiança_ É essencial que mantenha a sua palavra, de forma a não sabotar a sua amizade. Saber escutar é uma parte fulcral de ser bom amigo, pelo que deve assegurar-se que dá a atenção e dedicação devida ao que o seu amigo tem para lhe dizer, para que este saiba que pode contar consigo e partilhar o que quer que seja.

4) Saiba escolher as suas amizades_ Evite as pessoas que só trazem energia tóxica para a sua vida, que apenas mostram querer a sua companhia por interesse ou só o procuram quando têm problemas. Se as pessoas com quem andamos, influenciam a forma como nos sentimos, deve ter especial cuidado na altura de escolher com quem vai partilhar factos da sua vida e estabelecer laços de amizade.

5) Não descure os seus amigos_ Por vezes perdemo-nos tanto na azáfama do dia-a-dia que deixamos os amigos para último plano. Os benefícios da amizade para a saúde são variados desde contribuir para libertar a hormona oxitocina (associada ao bem-estar e redução do stress e ansiedade), aumenta o sentido de pertença e propósito, aumenta a autoestima, autoconfiança e sensação de felicidade.

Os nossos melhores amigos brindam connosco nos momentos alegres e amparam-nos nossas maiores dificuldades seja numa rutura amorosa, uma doença súbita ou qualquer tipo de perda. Encorajam-nos a dar o nosso melhor a cada dia e conhecem-nos tão bem que sabem sempre arrancar-nos um sorriso.

As boas amizades reduzem a ansiedade, a sensação de solidão, a pressão sanguínea e fazem-nos sentir compreendidos e acarinhados por quem somos, sensações que não têm preço nestes dias de tanta competição e desânimo que vivemos. Porque não liga aquele amigo com quem não fala há tanto tempo? A vida é tão melhor quando é partilhada. Não se esqueça do provérbio africano: se quer ir rápido, vá sozinho. Se quer ir longe, vá acompanhado.

Paula Gouveia

Imagem retirada de: https://unsplash.com/photos/tXiMrX3Gc-g